Em Busca de Vingança – Cultura Pop A Rigor

Em Busca de Vingança – Cultura Pop A Rigor

Aftermath

Direção: Elliott Lester

Elenco: Arnold Schwarzenegger, Scoot McNairy, Maggie Grace, Judah Nelson, Martin Donovan,

E.U.A. 2017.

Conferi recentemente numa exibição para críticos e blogueiros o filme “Em Busca da Vingança”. O drama que tem como mote uma história real envolvendo um acidente aéreo e dois homens afetados por ele estréia amanhã e traz Arnold Schwarzenegger protagonizando.

Isso mesmo, apesar do que o título em português possa passar e ainda mais com o fato de Ser estrelado pelo Arnold, o filme não é uma película de ação. Se a escolha do título foi uma estratégia para vender o filme como se fosse do filão que “Schwarza” está mais acostumado muita gente que for ao cinema pode se decepcionar por não ver tiros e explosões. A tradução direta seria simplesmente “Consequências”.

A história é sobre Roman (Arnold), um construtor que perdeu a esposa e a filha numa colisão entre dois aviões. Com o ocorrido ele entra em colapso e busca algum tipo de reparação, pois o acidente foi causado por negligência. Na outra ponta da narrativa conhecemos Jake (Scoot McNairy), o controlador de voo que estava sozinho na torre no momento da colisão, ele foi crucificado como principal responsável pelo acidente, enquanto a companhia aérea não reconheceu as próprias falhas.

Assim, acompanhamos na primeira parte do filme como Roman fica cada vez mais abalado com a perda da família e sua tristeza se torna raiva cada vez que a empresa aérea se recusa a lhe dar explicações a a pedir desculpas pela sua perda. Ele se irrita ainda mais quando lhe oferecem um acordo baseado em dinheiro. Acompanhamos também a crise na vida de Jake, responsabilizado pelo acidente, perdendo o emprego e a sanidade e assim gerando uma crise na vida com a esposa Christina (Maggie Grace) e seu filho.

O filme é baseado na história do acidente aéreo de Überlingen, cidade da Alemanha, ocorrido em 2002. Nele morreram 71 pessoas, a maioria crianças que vinham de um evento. O acidente fez com que o sistema para evitar colisões de aviões fosse melhorado pelas empresas. A trama do longa acompanha os eventos de 478 dias depois do acidente, que envolveram um arquiteto russo e o controlador do voo, Roman e Jake. O roteiro muda nomes, altera uns fatos ou outros, mas é bem fiel à trágica história.

O filme é um drama bem conduzido, pesado, com direção competente e ótimas interpretações. Arnold Schwarzenegger, que desde que retornou ao cinema tem feito não só filmes de ação, mas também outras experiências como em “Contágio” (“Maggie”), se saiu muito bem em um personagem de psicológico complexo. Ele fez um ótimo trabalho, mostrando que chegou muito bem a maturidade como ator, até as rugas que desenvolveu parecem contribuir para as expressões faciais que o personagem apresenta.

A direção é de Elliott Lester, que tem poucos filmes no currículo como “Love Is the Drug” de 2006 e o filme conta com Darren Aronofsky na produção. A atmosfera do filme e o modo como os personagens vão se destruindo parece mesmo com o tipo de filme que Aronofsky faria.

O final do filme parece ter sido um pouco corrido. Há uma repórter que estava escrevendo um livro sobre o acidente e aparece entre Roman e Jake, mas não ficam nítidas suas intenções no contexto. Na história real o homem que aqui seria o Roman contratou um investigador para fazer o papel que no filme ela cumpre.

Porém, isso não prejudica o saldo final do filme. Uma obra não para assistir quando quiser relaxar, mas quando quiser ver um filme que faça refletir sobre os sentimentos e psiques humanas num contexto de tragédia, que só quem passa consegue descrever. Além disso, vale conferir Schwarzenegger num papel totalmente diferente.

Fonte Original

Siga e curta nas redes sociais:

Deixe uma resposta